terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Hesse, tinha razão.

"   ...Havia chegado o momento em que a solidão e a independência já não eram seu objetivo,mas antes, sua condenação e sua sentença. O maravilhoso desejo fora realizado e já não era possível voltar atrás e de nada valia agora abrir os braços cheio de boa vontade e nostalgia, disposto à  fraternidade e à vida social. Tinham-no agora deixado só. Não que fosse motivo de ódio e repugnância. Pelo contrário, tinha muitos amigos. Um grande número de pessoas o apreciava. Mas tudo  não passava de simpatia e cordialidade;recebia convites presentes,cartas gentis, mas ninguém vinha até ele ,ninguém estava disposto nem era capaz de compartilhar de sua vida. Agora rodeava-o a atmosfera do solitário, uma atmosfera da qual fugia o mundo ao seu redor, deixando-o incapaz de relacionar-se uma atmosfera contraa qual não podia prevalecer nem a vontade nem o ardente desejo. Esta era uma das características mais significativas da sua vida."...




Herman Hesse in: O Lobo da Estepe